Crise financeira atinge o mercado de materiais recicláveis no Brasil e no exterior


A crise financeira por que passa o mundo, também afeta o mercado de materiais recicláveis no Brasil e exterior. Este se trata de um dos piores momentos de sua história. Desde de outubro do ano passado, commodities como: papel, papelão, plástico e metais recicláveis estão encontrando menos interesse das empresas, isso porque elas passaram a reduzir suas produções, como forma de corte de custos e por influência da queda na demanda.

Com cota adquirida principalmente nos Estados Unidos e no Reino Unido, a China, que é um dos maiores compradores de recicláveis do mundo deixou de exportar muitos dos seus produto ”Made in China”, o que fez os papelões a se acumularem nos estoques.

Nos Estados Unidos a tonelada da lata alcançou o Valor de US$ 327 no ano passado. A tonelada do papelão há poucos meses estava em torno de US$ 300. Hoje, a tonelada da lata vale U$5 e o papelão entre US$ 25 e US$ 30.

No Brasil, a crise só começou a fazer a diferença no mês de dezembro do ano passado. Já nos países citados entre outros, as desvalorizações das commodities começaram nos meses de setembro e outubro. Um fato curioso que torna o Brasil relativamente protegido da crise é que ele se auto-sustenta no abastecimento de recicláveis.

Mudanças nos preços de commodities [Brasil]
Jornais, papelão e papel
Até novembro de 2008 – R$ 0,14 centavos o quilo. Hoje: R$ 7 centavos

Plástico
Até novembro de 2008 - R$ 1,30 o quilo. Hoje: R$ 0,90 a R$ 1 por quilo

Fúlvio Costa
Reações: 

0 Response to "Crise financeira atinge o mercado de materiais recicláveis no Brasil e no exterior"

Postar um comentário